Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Bolsonaro sobre o novo ministro da Saúde: “Tem tudo para fazer um bom trabalho” - Rádio São José do Patrocínio

Fale conosco via Whatsapp: +55 51 996015863

No comando: Quarta-feira será de sol e calor na maior parte do RS

Das às

No comando: Madrugada São José

Das 00:00 às 06:00

No comando: Bombeando a cara do dia

Das 06:00 às 07:50

No comando: Festival da Trinca

Das 07:00 às 12:30

No comando: Correspondente Rede Guaíba Sat

Das 07:50 às 08:00

No comando: Show da Manhã

Das 08:00 às 12:00

No comando: Balcão de Negócios

Das 12:00 às 12:30

No comando: Momento Nativo

Das 12:30 às 13:00

No comando: ARCO DA VELHA

Das 13:00 às 14:00

No comando: Clube do Ouvinte

Das 14:00 às 17:00

No comando: Minha terra é assim

Das 17:00 às 19:00

Bolsonaro sobre o novo ministro da Saúde: “Tem tudo para fazer um bom trabalho”

Após anunciar o médico Marcelo Queiroga como novo ministro da Saúde nesta segunda-feira (15), o presidente Jair Bolsonaro falou sobre o assunto na saída do Palácio do Planalto. “A conversa foi excelente. Ele tem tudo para fazer um bom trabalho, dando continuidade a tudo que o ministro Pazuello fez”, disse a apoiadores.

Queiroga é o atual presidente da SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia). Ele aceitou o convite após uma reunião de cerca de 3 horas com Bolsonaro. A mudança foi  publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (16). “A transição deve levar de uma a duas semanas”, afirmou o presidente.

Bolsonaro também aproveitou para elogiar o trabalho de Eduardo Pazuello à frente do ministério. “O Brasil é o quinto país do mundo em números absolutos de pessoas vacinadas. O trabalho do Pazuello foi muito bem feito”, disse.

“Temos um programa bastante ousado, com mais de 400 milhões de doses contratadas até o final do ano. Este mês vamos receber mais de 4 milhões de vacinas, todas produzidas no Brasil. Essa política de vacinação em massa continuará cada vez mais presente em nosso governo.”

Além de Pazuello, já ocuparam o posto os médicos Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich. No final de semana, houve aproximação do governo com a médica Ludhmila Hajjar, que recusou assumir a pasta. O governo nega ter feito o convite.

Queiroga é muito respeitado no setor e tem bom trânsito em Brasília e no governo, tendo sido convidado este ano para integrar a direção da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar). Já havia sido cotado para a pasta após a saída de Mandetta.

Fonte: Foto: Marcos Corrêa /Presidência da República, Redação O Sul

Deixe seu comentário: