Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Câmara dos Deputados dá continuidade a processo contra Daniel Silveira - Rádio São José do Patrocínio

Fale conosco via Whatsapp: +55 51 996015863

No comando: Quarta-feira será de sol e calor na maior parte do RS

Das às

No comando: Madrugada São José

Das 00:00 às 06:00

No comando: Bombeando a cara do dia

Das 06:00 às 07:50

No comando: Festival da Trinca

Das 07:00 às 12:30

No comando: Correspondente Rede Guaíba Sat

Das 07:50 às 08:00

No comando: Show da Manhã

Das 08:00 às 12:00

No comando: Balcão de Negócios

Das 12:00 às 12:30

No comando: Momento Nativo

Das 12:30 às 13:00

No comando: ARCO DA VELHA

Das 13:00 às 14:00

No comando: Clube do Ouvinte

Das 14:00 às 17:00

No comando: Minha terra é assim

Das 17:00 às 19:00

Câmara dos Deputados dá continuidade a processo contra Daniel Silveira

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputado decidiu nesta terça-feira (9), por 15 a 1, dar continuidade ao processo movido pelo PSL contra o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ). O parlamentar é acusado de ter gravado ilegalmente uma reunião do partido em outubro de 2019.

Daniel Silveira será notificado e terá dez dias úteis para apresentar defesa por escrito, indicar provas e testemunhas. Para o relator, deputado Alexandre Leite (DEM-SP), a conduta de Silveira foi “de extrema gravidade” e “clara ofensa ao direito à intimidade”. Uma nova reunião do Conselho de Ética está marcada para quinta-feira (11), às 10 horas.

O deputado foi preso por determinação do STF (Supremo Tribunal Federal), e a decisão foi mantida pela Câmara. Silveira também responde no Conselho de Ética a processos por quebra de decoro parlamentar, sob a acusação de ofensas a integrantes da Suprema Corte.

Também em fevereiro, a PGR (Procuradoria-Geral da República) pediu ao STF a abertura de inquérito para apurar a conduta do deputado.

Após ser preso pela Polícia Federal, por determinação do ministro Alexandre de Moraes, Silveira foi levado para o IML (Instituto Médico Legal) do Rio de Janeiro. No local, o parlamentar discutiu com uma servidora do órgão após se recusar a usar máscara facial como medida de proteção à Covid-19.

No documento enviado ao STF, o vice-procurador-geral da República Humberto Jacques de Medeiros pede que sejam apurados os crimes de desacato e infração de medida sanitária preventiva.

Fonte: Jornal O Sul

Deixe seu comentário: