Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Esposas de policiais da Brigada Militar iniciam mobilização em frente a quartéis - Rádio São José do Patrocínio

Fale conosco via Whatsapp: +55 51 998045144

No comando: Quarta-feira será de sol e calor na maior parte do RS

Das às

No comando: Madrugada São José

Das 00:00 às 06:00

No comando: Bombeando a cara do dia

Das 06:00 às 07:50

No comando: Festival da Trinca

Das 07:00 às 12:30

No comando: Correspondente Rede Guaíba Sat

Das 07:50 às 08:00

No comando: Show da Manhã

Das 08:00 às 12:00

No comando: Balcão de Negócios

Das 12:00 às 12:30

No comando: Momento Nativo

Das 12:30 às 13:00

No comando: Clube da Saudade

Das 13:00 às 14:00

No comando: Clube do Ouvinte

Das 14:00 às 17:00

No comando: Minha terra é assim

Das 17:00 às 19:00

Esposas de policiais da Brigada Militar iniciam mobilização em frente a quartéis

Esposas de policiais militares passaram a tarde desta quarta-feira em frente ao 9º Batalhão de Polícia Militar (9º BPM), em Porto Alegre, em protesto contra o pacote do governo de Eduardo Leite, que prevê mudanças nas carreiras e na previdência dos servidores públicos estaduais. Durante a manifestação, não houve bloqueio de entrada e saída de viaturas do quartel, situado na Avenida Praia de Belas. “Foi tudo tranquilo, pacífico”, relata o comandante da unidade, tenente-coronel Luciano Moritz, que até ofereceu água aos manifestantes por causa do forte calor. “É um grito de alerta, para mostrar a questão à população e que a família está ao lado dos brigadianos”, explica a presidente da Associação Recreativa Cultural Beneficente das Esposas dos Policiais Militares e Policiais Femininas de Nível Médio do RS (AESPPOM), Claudete Valau.

Conforme Claudete, os policiais militares gaúchos não podem fazer greve. “Mas eu falei para o Luciano, que se eles não podem fazer greve, nós vamos trancar os portões”, ameaçou a presidente, que pretende que a entidade faça isso na segunda-feira, dia 16. “Até lá, nós vamos ficar cada dia em frente a um quartel. Nesta quinta-feira nosso destino provavelmente será o 11º BPM”, adianta.

Na terça-feira, policiais civis decidiram pela greve, que só ocorrerá se o projeto entrar na pauta, e fizeram uma caminhada desde o Palácio da Polícia até o Piratini. A previsão inicial é de que o conjunto de propostas do Executivo seja apreciado a partir do dia 17 e dure três dias. A partir de então começa a trancar a pauta da Assembleia Legislativa.

Fonte:Correio do Povo

Deixe seu comentário: