Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Fepam emite licença para instalação de primeira usina de etanol a partir da batata-doce - Rádio São José do Patrocínio

Fale conosco via Whatsapp: +55 51 996015863

No comando: Quarta-feira será de sol e calor na maior parte do RS

Das às

No comando: Madrugada São José

Das 00:00 às 06:00

No comando: Bombeando a cara do dia

Das 06:00 às 07:50

No comando: Festival da Trinca

Das 07:00 às 12:30

No comando: Correspondente Rede Guaíba Sat

Das 07:50 às 08:00

No comando: Show da Manhã

Das 08:00 às 12:00

No comando: Balcão de Negócios

Das 12:00 às 12:30

No comando: Momento Nativo

Das 12:30 às 13:00

No comando: ARCO DA VELHA

Das 13:00 às 14:00

No comando: Clube do Ouvinte

Das 14:00 às 17:00

No comando: Minha terra é assim

Das 17:00 às 19:00

Fepam emite licença para instalação de primeira usina de etanol a partir da batata-doce

Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) emitiu nesta sexta-feira (4/9) a Licença Prévia e de Instalação Unificadas da primeira usina de etanol no Rio Grande do Sul. O que diferencia este empreendimento é que ele utilizará batata-doce como matéria-prima, enquanto os demais têm como base cana-de-açúcar.

“As Informações são do Portal Clic Camaquã”

Para a presidente da Fepam, Marjorie Kauffmann, “empreendimentos como esse são de extrema importância, principalmente em um Estado agrícola como o Rio Grande do Sul, porque possibilitam a variação de matéria-prima e ajudam a manter a sustentabilidade econômica”. Com a licença, o empreendedor está autorizado a instalar a usina, que será construída em uma área de três hectares no município de Carazinho.

O empresário Henrique Sudbrack Leonhardt, que trouxe a ideia após uma visita a uma usina no Mato Grosso, identificou no Rio Grande do Sul um grande potencial para produzir etanol a partir da batata-doce, já que o Estado é um dos maiores produtores do país. Segundo ele, mais de 400 famílias da agricultura familiar serão beneficiadas. “Essas famílias cultivam batata-doce há dois anos, com produção específica para a usina na transformação em etanol”, informou.

Toda a mão de obra utilizada é do Rio Grande do Sul e, além das famílias beneficiadas, cerca de 50 pessoas serão empregadas, quando a usina estiver em funcionamento. De acordo com Leonhardt, haverá aproveitamento de 100% da batata-doce. O álcool será utilizado nos postos da família, e o farelo, vendido para a indústria de ração.

Para a usina começar a funcionar, ainda é preciso a emissão da licença de operação por parte da Fepam, após solicitação do empresário e análise dos técnicos da fundação.

Deixe seu comentário: