Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Presidente do Tribunal Superior Eleitoral paralisa pedido sobre Ficha Limpa até definição do Supremo - Rádio São José do Patrocínio

Fale conosco via Whatsapp: +55 51 996015863

No comando: Quarta-feira será de sol e calor na maior parte do RS

Das às

No comando: Madrugada São José

Das 00:00 às 06:00

No comando: Bombeando a cara do dia

Das 06:00 às 07:50

No comando: Festival da Trinca

Das 07:00 às 12:30

No comando: Correspondente Rede Guaíba Sat

Das 07:50 às 08:00

No comando: Show da Manhã

Das 08:00 às 12:00

No comando: Balcão de Negócios

Das 12:00 às 12:30

No comando: Momento Nativo

Das 12:30 às 13:00

No comando: ARCO DA VELHA

Das 13:00 às 14:00

No comando: Clube do Ouvinte

Das 14:00 às 17:00

No comando: Minha terra é assim

Das 17:00 às 19:00

Presidente do Tribunal Superior Eleitoral paralisa pedido sobre Ficha Limpa até definição do Supremo

O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Luís Roberto Barroso, determinou neste sábado (26) a paralisação de pedido sobre a Lei da Ficha Limpa até que haja uma decisão final do STF (Supremo Tribunal Federal).

A decisão foi tomada no caso de um candidato de Pinhalzinho (SP), que teve registro indeferido por ainda estar dentro do prazo de inelegibilidade previsto em lei. Barroso manteve o impedimento da candidatura.

No dia 19, o ministro Nunes Marques, do STF, deliberou uma liminar que suspendeu o trecho segundo o qual a contagem da inelegibilidade de oito anos começa após o cumprimento de pena, no caso de condenados em segunda instância ou em órgãos colegiados da Justiça.

A defesa do candidato de Pinhalzinho argumentou que ele deveria ser beneficiado com a liminar do STF porque a condenação que originou o questionamento ao registro foi de agosto de 2012 e teriam se passado oito anos em agosto de 2020.

Neste sábado, o ministro recebeu recurso contra a sua decisão, apresentado pela PGR (Procuradoria-Geral da República) e abriu prazo para o PDT, autor da ação, se manifestar. Em relação ao sobrestamento dos processos, que também foi formulado pela PGR, Marques entendeu que caberia ao presidente do TSE deliberar. No mesmo dia, Barroso sobrestou o primeiro processo.

Barroso analisou a situação e entendeu haver necessidade de uma definição do plenário do Supremo sobre o sentido e o alcance do dispositivo da Lei da Ficha Limpa em questão e que, além disso, aspectos específicos de cada caso concreto precisam ser levados em conta.

Fonte: Foto: Nelson Jr./SCO/STF, Redação O Sul

Deixe seu comentário: